Esquizofrenia: Perguntas & Respostas

A ABRE – Associação Brasileira de familiares, amigos e portadores de esquizofrenia, traz em sua página, 15 perguntas que consideram ser mais frequentes quando o assunto é esquizofrenia. Iniciam com “O que é a esquizofrenia?“:

Esquizofrenia é uma doença grave, complexa, intrigante e sua causa ainda não é conhecida. As manifestações da esquizofrenia são muito variáveis. No geral as pessoas com esquizofrenia apresentam períodos em que têm dificuldade de distinguir o real do imaginário. Podem vivenciar mudanças na sua forma de pensar e sentir, prejudicando suas relações afetivas e seu desempenho profissional e social.

A esquizofrenia é uma doença que acarreta grande carga de sofrimento para a pessoa, sua família e amigos. Quanto antes for iniciado o tratamento melhor será sua evolução, mas frequentemente é necessário que o acompanhamento se dê para toda a vida.

Todas as perguntas e respostas estão no site da ABRE neste link: http://www.abrebrasil.org.br/web/index.php/esquizofrenia/perguntas-frequentes

Também o Programa de Esquizofrenia (PROESQ) da Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP, por meio de seu coordenador geral o psiquiatra Rodrigo Bressan, postaram no site do programa Sete (7) perguntas mais frequentes sobre esquizofrenia e suas respectivas respostas. Dentre elas destacamos:

Quem tem esquizofrenia pode ter uma vida normal?

(…) A esquizofrenia é uma doença que traz dificuldades para a pessoa e para a família, mas ela tem tratamento e pode ficar sob controle. Uma vida normal, com relações familiares boas, com amigos, com um dia a dia que faça sentido, com perspectivas de futuro e a possibilidade de amar está ao alcance da pessoa com esquizofrenia… 

Visualize todas as 7 perguntas e respostas neste link: http://www.psiquiatria.unifesp.br/d/proesq/perguntas/

A Associação Brasileira de Psiquiatria – ABP tem um canal no youtube chamado “Canal da Psiquiatria“. Neste canal você encontra diversos vídeos, dentre eles, bons psiquiatras especialistas em esquizofrenia, como o Bressan e Cristiano Noto. Seguem alguns vídeos que trazem perguntas e respostas sobre o tema:

 

Grupo Falando Sobre Esquizofrenia – Relatos

Neste post farei um relato breve de quatro encontros do Grupo Falando Sobre Esquizofrenia. Lembrando que já há os relatos: sobre o grupo e também do primeiro encontro.

Segundo encontro – Tema “O que é Esquizofrenia?”

Solicitei que falassem tudo o que viesse a mente quando pensavam em esquizofrenia. Em uma cartolina fui anotando as falas: 

um tipo de depressão  ♦uma doença que se pega e não tem cura  ♦hereditário ♦pega?  ♦internação  ♦insônia  ♦efeitos no corpo  ♦cansaço no corpo  ♦distúrbio mental  ♦crises  ♦surto  ♦preconceito.

Todas estas palavras e frases foram ditas pelos pacientes, não ajudei e/ou inclui nada. Discutimos sobre o tema (esquizofrenia) através do que eles trouxeram. Eu acrescentava alguns entendimentos/explicações e também sublinhava no cartaz o termo já abordando, com o intuito de que eles visualizassem que suas falas foram significativas e estavam sendo contempladas. 

Terceiro encontro – Etiologia

Primeiramente expliquei o que significava este termo e eles, logo que entenderam, começaram a fazer perguntas e pensar exemplos. A discussão do segundo encontro já havia nos levado há alguns entendimentos e alguns pacientes lembraram disto. Assim, também utilizamos estas lembranças falando, por exemplo, de hereditariedade e contaminação (pega?).

Quarto encontro – Sintomas

Neste encontro foi muito importante o relato da experiência de cada um para o entendimento de alguns sintomas como alucinação e delírio. Um referiu ter vozes e que isto, muitas vezes, é a causa de suas faltas no CAPS. Outro falou que seu primeiro surto foi ver aranhas, contudo faz anos que não apresenta mais este sintoma e atribui sua melhora na época à internação. Um paciente fala de delírios persecutórios relatando ficar confuso, com medo de que alguém o pegará e por isto não gosta de sair muito de casa. 

Vários outros foram os exemplos quando falamos de ansiedade, isolamento e dificuldade em demostrar afetos.

Quinto encontro – História

Neste encontro iniciei contanto a história do termo esquizofrenia e do tratamento numa linguagem acessível e objetiva. Esta fala resultou numa discussão sobre preconceito e internação: “Acham que a gente é louco”, “meu pai diz que eu sou louca porque tomo remédio”, “fui internado porque precisou”, entre outros relatos. Percebi que o grupo como um todo tem a percepção de que há muito preconceito por causa da medicação psiquiátrica e às vezes a internação é necessária.

Escrito por Cristina Folster, em outubro/2014

Entrevista: Esquizofrenia

Depoimento do filósofo e pesquisador Jorge Cândido de Assis, sobre sua experiência com a esquizofrenia. Ele fala sobre temas importantes como: Primeiro surto, internação, tratamento medicamentoso e psicossocial, estigma, dificuldades e superações.

Jornal Futura 25/06/2013.